segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Obrigado, meu Deus!


 

Meu Deus,
Tu que és tão bom
Tu que podes tanto, tanto
Eu te faço esta oração
Porque só Tu és Santo.

Meu Deus,
Tu que me  compreendes
Tu que me dás atenção
Eu peço e Tu me atendes
Porque me dás Tua proteção.

Meu Deus,
Tu que estás sempre comigo
Tu que estás em todo o lugar
Eu Te peço o bom abrigo
Porque quero estar em  meu lar.

Meu Deus,
Tu podes sempre contar
Com a minha fidelidade
Eu aprendi que se eu Te amar
Só vou ter a  Felicidade.

Obrigado meus Deus!

Euclides Riquetti

domingo, 22 de janeiro de 2017

A perda do Vítor Savaris - relembrando do amigo...




          O primeiro dia da semana veio com o sol emanando energias altamente positivas em seus raios dourados. A temperatura estava agradável e as pessoas se animavam na ida à escola, ao trabalho, ou simplesmente na prazenteira caminhada pelas ruas do Parque e Jardim Ouro. Mas a harmonia da tarde foi quebrada por uma notícia indesejável, mas real... e era alterada toda a rotina tão costumeira ali em Ouro.

           Pela meia tarde ligaram-me vários amigos, em sequência, para informar-me que o nosso amigo Vítor  Savaris tinha falecido. Lamentei muito, pois convivi com ele os últimos 16 anos, tendo-o como colega na atividade pública. Adversários que fomos, tornamo-nos companheiros de jornadas desde 1996. E fomos criando laços de amizade muito fortes. Entendíamo-nos muito bem, nutríamos um forte respeito mútuo.

          Conheci o Savaris nos tempos em que lecionei e trabalhei em Zortea, a partir de 1977,  quando este era ainda um Distrito de Campos Novos. A família dos Savaris (o Nono Selvino e a Nona Amélia), pais do Vítor, moravam ali perto, no Pouso Alto, nas margens do Rio Pelotas. Tinham atividades agropecuárias e um areial. Exerciam forte liderança na comunidade, gostavam de política e de futebol. Eram gremistas fanáticos, todos eles. Até tinham um  time de futebol, o Grêmio de Pouso Alto. E ele, magro e muito alto, era atacante pelo lado esquerdo, corria muito. Marquei-o em alguns jogos nos tempos de aspirante do Grêmio Esportivo Lírio. Na verdade, éramos dois magricelos e ambos muito corredores. Na época já dava para perceber que ele era gente muito boa.
     
          Em março de  1980 voltei a morar em Ouro e, um ano depois, ele também foi lá residir, no Bairro Parque e Jardim Ouro. Não havia sequer 50 famílias ainda por lá. Hojé é o mais populoso daquela cidade. Com forte liderança na Capela São João Batista e no clube de futebol local, foi-se tornando muito conhecido. Lecionei para seus filhos, os quais eram muito educados e dóceis. Recebiam do Vítor e da Nilda um alto padrão de educação familiar.

          Savaris chegou a ser vereador e ocupou o cargo de Secretário Municipal de Transportes e Obras nas administrações dos prefeitos Sérgio Durigon, José Camilo Pastore e Neri Luiz Miqueloto. Conhecia todos os cantos do território do Município e era muito dado com todos os colegas de trabalho. Em 2012 concorreu a Vice-prefeito mas não obteve o resultado que esperava. Pouco tempo depois, foi acometido por doença muito grave, que ceifou sua vida nesta segunda-feira.

          Menos de 60 anos, aposentado há um ano, jovem para os tempos atuais, uma pessoa de grande vitalidade, mas que teve muitos abalos em sua vida.  E acabou não resistindo à doença, infelizmente.

          Na última vez que conversei com ele, estava muito animado, disse-me que tinha ido com os irmãos ver um jogo do seu Grêmio em Porto Alegre, na nova Arena do Clube. Acreditava que iria melhorar, poder curtir a família, ter muitos netos... Mas isso não foi possível!

          Resta-nos guardar dele as boas lembranças do futebol, dos churrascos, da amizade e lealdade no trabalho. Posso asseverar, em qualquer situação, que ele foi um grande amigo... Resta-me rezar a Deus para que lhe dê a Felicidade Eterna, no Reino de Sua Glória! Fique bem, amigo Savaris!

Euclides Riquetti
10-09-2013

On board One - Rumo a Campinas - SP

         Na noite de terça, 11, para a quarta, 12 de janeiro, dormimos no AJ Hotel, em Chapecó. É um prédio novo, com 68 apartamentos, ótimo atendimento e muito conforto. No térreo, funciona um restaurante onde se janta comida tipo café colonial, inclusive com sopas. Ou pratos que podem ser escolhidos na carta do cardápio.



          Um diferencial deles é que servem o café a partir das 6 horas. Mas, para pessoas que precisam ir para o aeroporto ou viajar cedo, conseguem preparar um "cafezão" já às 5,15 h. Com isso, pouco antes das 6 h já estávamos no aeroporto Serafim Bertaso, onde tomamos avião da Azul  e saímos às 6,45. Antes das 8h estávamos no Viracopos, em Campinas.

          Eu havia feito um aprofundado estudo preliminar sobre as formas de se locomover em Campinas e nas cidades de sua região metropolitana. Tinha os horários anotados, os sites e os números de telefone das empresas de ônibus. Tomamos um Executiva da Lira Bus. Você o apanha dentro da área do aeroporto e quando você volta da viagem eles te deixam no mesmo box. Muito confortável e excelente atendimento. O ônibus para num ponto na Avenida Aquidabã. É só olhar para o outro lado desta e se vê, bem em frente, o Monreale Hotel Classic, onde nos hospedamos.


           Ao lado Leste do Monreale está o Hotel Mercure e o Ibis. O Mercure e Monrealle são do mesmo padrão. No hotel, fomos recepcionados e encaminhados para o sétimo andar. Antes de subir, fui cumprimentar o Francisco, na sala da administração, que foi quem me deu muitas dicas, por telefone, ainda quando eu estava pesquisando sobre os pontos interessantes a serem visitados. Diariamente, tivemos contato com diversos funcionários, todos muito atenciosos. A Jéssica e o Marcos nos ajudaram com o manejo de nossos eletrônicos, fiz boa amizade com eles. 




         Já na primeira manhã andamos pela área central da cidade. Pela Rua Francisco Glicério, que passa ao lado do hotel, em menos de 15 minutos, a pé é possível estar na Catedral, na Igreja da Conceição. Desta, até o Mercado Público e a parte histórica da cidade, é possível ir em 5 minutos, a pé. A Catedral é uma edificação suntuosa e imponente. Seu interior é adornado por altares de madeira escura, com muitos entalhados e esculturas.

          Aproveitamos a tarde para tomar conhecimento dos locais para apanhar os ônibus que nos levasse às cidades da região, a partir do dia seguinte. Campinas é uma cidade com aproximadamente 1.170.000 habitantes, de trabalho. O turismo não é atividade importante para eles. Mas, mesmo assim, há diversos pontos de informações turísticas, os PITs. No aeroporto nós tomamos, já na chegada, informações importantes, e ganhamos folderes e mapas.

          Depois, curtimos o hotel, que nos disponibilizou um apartamento amplo e confortável. É dotado de piscina e academia. O saguão é amplo, o restaurante serve ótimo café da manhã e, durante o dia, refeições à La Carte. À noite, bufê com cardápios diferenciados.

          Este tipo de viagem, padrão "mochileiro", é a quarta que realizamos. A primeira foi no Chile, há dois anos, uma para Belo Horizonte e região, há um ano; e outra para Recife e João Pessoa, na metade do ano que passou. Estamos ganhando experiência, conhecimentos, gastando menos e aproveitando melhor nossa programação. Vale a pena encorajar-se e fazer esse tipo de viagem! Anime-se você também!

Euclides Riquetti
22-01-2017

Amar com paixão

Busco, não sei onde, a resposta de que eu preciso
Para a pergunta simples, algo me parece faltar
Talvez uma nuvem clara, quem sabe o teu sorriso
Pois sinto-me um notívago, um andante a vagar.

Procuro nas estrelas, talvez nos vastos oceanos
Nas montanhas marrom-cinza, talvez nos verdes vales
Na perdição dos corpos, dos pensamentos mundanos
O remédio para minha dor, a cura para  meus males.

Busco, procuro, mas não encontro nenhuma resposta
Procuro, procuro, mas não tenho um endereço certo
A vida não é apenas um jogo, nem uma simples aposta.

A vida é sentir com os olhos, é ver com o coração
É perceber o calor no inverno, e ver água no deserto
É a entrega da alma e do corpo, é amar com paixão!

Euclides Riquetti

Rosa, cor da paixão



Rosa, cor da paixão amena
Rosa, do sabor que encanta
Rosa, cor da alma serena
Rosa, do sabor de menta...

Rosa, cor dos sentimentos
Rosa, do sabor  deleitoso
Rosa, a cor dos bons ventos
Rosa, do sabor  gostoso..

Rosa de cor, de dor, de flor
Rosa de alegria e nostalgia
Rosa de afeição e sedução...

Rosa de amar, de dar amor
Rosa desta noite, deste dia
Rosa de cantar esta canção !

Apenas uma rosa pra você...
Bem assim!

Euclides Riquetti
22-01-2016

Lady Michelle Obama ... a true woman!



Michelle Obama


                                      Michelle, com o marido Barack e as filhas Malia e Sasha

         Michelle Obama, Primeira Dama dos Estados Unidos da América, disse hoje que "a Casa Branca foi construída por escravos, e que hoje suas filhas brincam em seus jardins"...

         Gosto muito da postura de Michelle Obama. Uma senhora respeitável, mulher do presidente do país mais poderoso do mundo. Não precisa de promoção pessoal, não lhe interessa glamour, nem badalação. Ela é, simplesmente, Michele Obama, nascida Michelle LaVaughn Robinson, agora Obama, advogada, escritora, esposa de Barack Obama, nascida em Chicago e graduada pela Universidade Princeton.

        Michelle e Barack têm duas filhas, Malia e Sasha. É admirada ( e invejada..) por mulheres de todo o planeta. Admiro-a, também, por ser uma mulher exemplar, não apenas um "apêndice" na vida de um presidente. Tem luz própria, não precisa de que lhe escrevam discursos, mito menos de valer-se de plágios...

Apenas isso, bem assim!

Euclides Riquetti
26-07-2016

sábado, 21 de janeiro de 2017

Sorria, sorria!



Sorria, sorria com seu sorriso de menina-moça
Com vestidinho de chita, com sandálias brancas
Sorria com o rosto desenhado da boneca de louça
O sorriso de menina-moça-mulher que encanta!

Sorria, desde o amanhecer do dia mais ensolarado
Sorria em todas as horas e em todos os lugares
Sorria ao fim do dia, mesmo tendo sido atribulado
Sorria contemplando a lua, pensando nos mares!

Permita-se sorrir com seu rosto e com seu corpo
Com seus movimentos cândidos, leves, sensuais
Faça  nascerem flores no caminho pedregoso e torto.

O sorriso natural é uma dádiva santa, dádiva divina
Vem de dentro de você, como os instintos naturais
É aquele que nos acalma, nos motiva e nos anima!

Euclides Riquetti

Sobre um Pioneiro do Oeste Catarinense








Joaçaba - 1942


          Já me referi ao cidadão José Waldomiro Silva, que nasceu no interior de Campos Novos, em 21 de junho de 1902, na fazenda do avô paterno, Jordão Francisco da Silva. Silva é um exemplo de pessoa simples, que deu a volta por cima, que podemos considerar um vencedor, com méritos. Um menino de fibra, que tornou-se um homem de fibra, um líder incontestável. Exerceu, em sua vida,  mais de uma dezena de ocupações. O menino que, aos 12 anos,  ajudava a defender o povoado de Rio Capinzal empunhando uma Winchester 44, mesmo pobre, conseguiu, pela sua maneira simples a carismática de ser, eleger-se duas vezes prefeito de Joaçaba e duas vezes Deputado Estadual. Mas sua biografia vale mais pela maneira como conduziu sua vida simples mas de sucesso do que pela carreira política.


          Aos sete anos mudou-se para as proximidades do Rio Pelotas, poróximo da hoje Zortea e em 1910 a família foi para Rio Uruguai, ali próximo de Marcelino Ramos. Acompanhou a chegada da linha férrea, sendo que seu pai vendia carne para os trabalhadores da mesma. Ficaram pobres depois que revolucionários que vinham do Rio Grande do Sul passaram pela propriedade da família e saquearam seus bens.  Viu a construção da ponte sobre o Rio Uruguai, ligando Santa catarina ao Rio Grande, em Marcelino Ramos.

          Em seu livro, "O Oeste Catyarinense - Memórias de um Pioneiro", ele conta toda a história de sua vida, com riqueza de detalhes sobre a construção da estrada-de-ferro, a enchente de 1911, o assalto ao trem pagador pelo grupo liderado por Zeca Vacariano e Manoel Francisco Vieira. Em 1912 foi  morar em São João do Triunfo (Paraná), voltando, em 1914, aos 12 anos, para Rio Capinzal.

          Sobre essa época,  faz uma minunciosa descrição do centro de Capinzal e dos acontecimentos de então,  sobre os conflitos entre os revoltosos do Contestado e os homens da madeireira Lumber. Conta sobre o acampamento de 500 soldados de uma Força Federal que ficaram acampados nas proximidades da estação Férrea de Rio Capinzal, para guarnecê-la,  na época. Interessante é saber que, naquele tempo,  a área situada à  margem esquerda do Rio do Peixe, chamada Rio Capinzal era ligada por uma balsa de Afonsinho da Silva à do lado direito, o então Distrito de Abelardo Luz, onde havia somente a rua central povoada, e hoje se localiza a cidade de Ouro, que pertencia ao Paraná, enquanto que a outra, Rio Capinzal,  pertencia a Santa Catarina.

           Vale muito a pena conhecer as descrições e narrações de José Waldomiro Silva, pois foi uma testemunha presencial dos conflitos em nossa região contestada.

          Das descrições em seu livro, citarei uma que julgo importante para todo o capinzalense conhecer, às páginas 21 e 22:   "O nome de Rio Capinzal se originou do seguinte fato: Segundo voz corrente na época, o fazendeiro-proprietário das terras de Capinzalo, de nome Antônio Lopes, cuja fazenda de campos e matos fazia fundos com o Rio do peixe na barra do rio que levou o nome de Capinzal. Para fazer pastagens e invernar suas criações, fez grande desmatação à  margem do Rio do peixe, da barra do lajeado ali existente, acima e, depois da queima, semeou capim melado ou capim gordura, cuja semente trouxe de São Paulo, para onde viajava seguidamente com tropas de muares que vendia em Itapetininga, tendo assim formado uma grande pastagem (capinzal)"

          Em 1917, quando da criação e instalação de Cruzeiro, no povoado de Limeira (hoje Joaçaba), eles foram morar ali, onde exerceu diversos ofícios, inclusive o de balseiro. Em 1921, morou em Rio do Peixe (Piratuba), depois em Irani, e voltando para Limeira 9Joaçaba), ao final de 1924 para exercer a função de Escrivão de Paz. No ano seguinte, foi para Itá como cartorário, voltando a Limeira em 1927.

         Em suas memórias, José Waldomiro Silva fala da Revolução de 1930, da Construção da Ponte Emílio Baungharten, entre Joaçaba e Herval, sobre a passagens dos comboios de trem, sobre a fundação do Clube 10 de maio, de Joaçaba, sobre a morte do pioneiro de Treze Tílias Andreas Thaler, sobre a fundação do Município de Concórdia, o Tiro de Guerra, a enchente de 1951, e outros fatos marcantes.

          Em 1947, já aposentado, foi morar em Ponta Grossa, mas foi convidado a voltar a Joaçaba para concorrer a Prefeito, tendo sido derrotado por oscar Rodrigues da Nova. Fez sua campanha montado em lombo de cavas emprestados pelos seus correligionários, visitando as fazendas de Herciliópolis e Irani.

            Novamente candidato, foi eleito Prefeito de Joaçaba, assumindo em 31 de janeiro de 1951, ficando até 1954, ano em que se elegeu Deputado estadual, sendo o mais votado do Estado, reelegendo-se em 1958. E, em 1960, elegeu-se novamente Prefeito de Joaçaba, vencendo ao jovem Paulo Stuart Wright por uma diferença de apenas 9 votos. Ao final da década de 1960 foi morar em Florianópolis e em 1987 lançou o seu livro de memórias.

           José Waldomiro Silva foi propriamente um cigano. Nas cidades onde morou frequentou escolas do antigo primário, mas sua evolução na escrita veio em razão de tê-la praticado muito na atividades cartoriais. Seu livro de memórias nos traz muitas informações valiosas, incluisive citando os nomes dos primeiros moradores dos povoados onde residiu. Vale a pena ler!






Joaçaba - foto atual - aos fundos, Herval d ´Oeste


Euclides Riquetti
14-09-2013

Sorrindo na chuva





Fico olhando pra você, que se vai feliz
Pela rua cinzenta, com cheiro de luar
Anda, livremente, buscando o seu mar
Sonha acordada com os versos que fiz.

Fico imaginando o que a anima tanto
O que a faz andar sorrindo na chuva
Tão protegida como a mão numa luva
Adeus às tristezas, adeus aos prantos.
 
Vai, esbaldando-se em sua felicidade
Na busca da recomposição de seu eu
Envolta no frescor da pura liberdade.

Vai, flutuando nas nuvens das certezas
Colhendo os frutos do pomar que é seu
Majestade coroada com sutis realezas.

Vai, feliz, sorrindo na chuva!

Euclides Riquetti
21-01-2017




Congratulations, Obama!

Escrevi em 07 de novembro de 2012...estou republicando...



Barak Obama, humildade sempre...

          O mundo viu, na chegada desta quarta-feira, os noticiosos de todos os meios de comunicação apresentando o Senhor  Barak Obama reeleito Presidente na terra do Uncle Sam, pelos Democratas. Obama venceu Romney por menos de um milhão de votos, mas obteve uma vitória muito consagradora.

          Os olhares de todos os países miraram os Estados Unidos da América nos últimos meses, onde um advogado e ex-senador enfrentava um poderoso magnata, de um partido conservador, que manifestava em sua campanha uma posição de corredor de riscos. Mas os negros, mulheres, latinos e asiáticos que formam a diversificada população norteamericana saíram de casa em temperaturas próximo de zero graus para votar e reeleger o negro marido de Michelle e pai de Sasha e Malia. Se os sonhos românticos dos escritores e do cinema, ao longo da história, idealizaram heróis brancos, a América vê um cenário novo, com uma família bonita, presente, inteligente, ocupando os espaços na mídia e dentro dos corações dos habitantes da América. (Para os estados Unidos, eles são a América)... Governando, mais uma vcez.

           A não obrigatoriedade de votar, lá, é um fator relevante, e nos dá a lição que precisamos ter: A manipulação do eleitor, as ilegalidades muito presentes nas campanhas brasileiras, a corrupção e a incompetêcia, poderiam diminuir muito no Brasil e, em, todos os níveis, ocorreria a depuração política se nós colhêssemos o bom exemplo da eleição deles.  E pessoas de bem poderiam candidatar-se, principalmente aos cargos legislativos, e não passar a vergonha de perder para os incompetentes, apenas espertalhões que tiram proveito dos ganancios.

          Enquanto Romney representava o risco, talvez a solução mágica para os principais problemas de seu País, Obama representava a segurança, o avanço social. Em seu Governo, teve posições fortes e bem definidas, reordenou os Planos e Saúde, com significativos ganhos para a população, combateu com mais resultados e terrorismo, ajudou a derrubar, caçar e eliminar ditadores.  E esses fatores contaram mais que a Economia, na eleição. O mundo todo estava focado na maior economia do planeta, nos detentores do dólar, moeda que já foi mais forte, mas que continua a ser o principal referencial de valores internacionais. E, agora, pelo menos, todos os países já conhecem a maneira do Presidente agir, pensar,  governar, e as ações serão efetivadas segundo essa linha, para que haja recuperação na economia mundial. E os americanas estão comemorando, efusivamente, sua grande vitória.

          Congratulations, Mr. President!

Euclides Riquetti
07-11-2012

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Cuida de ti, mulher



Cuida, severamente, de todas as tuas emoções
Não te deixes levar por impulsos incontroláveis
Cuida, para não sofreres as fortes desilusões
Nem te deixes abalar por revezes infindáveis.

Cuida  das dores intermitentes de teu coração
Não te deixes maltratar por quem não te quer
Cuida, para que teus pés não percam o teu chão
Nem te deixes intimidar em tua condição de mulher.

Cuida, sim, de teus bens mais caros e  preciosos
Cuida de tua alma e de teu coração ferido
Cuida como o  fazes com teus seios formosos.

Cuida como cuidas de teus cabelos ondulados
Cuida como cuidas de teu corpo esculpido
Cuida como cuidas de teus olhos amendoados!

Euclides Riquetti

A Chape e os Origamis de tsurus

         

         

Jovens confeccionam origamis no gramado da Arena Condá, o estádio da Chape, em Chapecó.

          Passamos por Chapecó na quarta-feira, dia 11, quando íamos a Campinas - SP. Chegamos pela manhã e fomos visitar a Arena Condá, o estádio da Chapecoense, que teve seus atletas e dirigentes vitimados pela tragédia de Medelín, na Colômbia, na madrugada de 29 de novembro de 2017, quando 71 pessoas perderam a vida, sendo 19 delas jogadores de futebol profissional, que iriam disputar o título da Copa Sul-americana de Futebol, contra o Atlético Nacional daquele país.

          O estádio da Chape tem sido visitado por grande parte das pessoas que passam pela cidade.Vão lá, tiram fotos, conversam com os funcionários. Particularmente, dirigi meu olhar para o gramado, as arquibancadas, e fiquem lembrando-me das imagens do velório dos atletas, do choro das pessoas que lotaram a Arena para esperar pelas vítimas, do verde-e-branco que tingiu com as cores da natureza todo o cenário daquela cidade e ainda tinge. Ainda me emociono quando vejo reportagens sobre o acontecido...

          Estivemos a poucos metros da trave onde o goleiro Danilo operou defesas milagrosas na semi-final da Sul-americana, garantindo a classificação de nossa Chape. Numa das entradas, ao lado esquerdo, está um grande pôster com os jogadores comemorando a última vitória...

           Eu estivera lá há uns dois anos com a nora Luana, que também gosta de futebol. Lembrei-me de jogos que vi pela TV, do entusiasmo da torcida, lembrei que, num Cruzeiro que fizemos para o Uruguai e Argentina, jantávamos na mesma mesa que uma adolescente filha de um dos dirigentes falecidos  no desastre aéreo. Rezei por ela também, para que tenha forças para superar a perda do pai...

         Agora a Chape está tentando recompor-se, com novos dirigentes, nova Comissão Técnica, novos jogadores. E, nesta sábado, joga contra o Palmeiras, atual campeão brasileiro, em jogo cuja renda será revertida em favor das famílias das vítimas. Para este jogo, crianças, adolescentes e jovens estão confeccionando origamis de tsurus, com pássaros e corações. Estão pendurando nos alambrados, vão confeccionar 15.000 deles para distribuir entre os torcedores que lá estarão. É uma forma de eternizar as lembranças, de mostrar que sentem saudades do que se foram... Também sou sentimental, tendo coração e alma, também sofri com a perda dos atletas, que eram treinados pelo Caio Júnior, de quem sempre fui fã, influenciado pelo meu cunhado Celso Kaminski, pai da Juliana, do Fernando e do Cassiano, fundador e que foi conselheiro do Paraná Clube, em Curitiba.

          Pesquisei sobre os origamis e copiei para vocês num site: "Os origamis, nos desenhos de tsurus (pássaros) e corações, significam a paz e o amor. Mas, no caso da Chapecoense, o sentimento vai muito além. A intenção da campanha intitulada “Manifeste seu amor” é passar uma mensagem de confiança e expressar apoio e fé no..."

          Ora, o povo de Chapecó e os catarinenses, mesmo os brasileiros, estão ainda muito consternados com o que aconteceu com nossa Chape. Em Campinas, nesta semana, comprei uma camisa da Chape, agora Campeã da Copa Sul-americana, por uma especial deferência do Atlético de Medelín. Ainda me emociono, sim... e isso vai acontecer por muito tempo, ainda.

E continuo fazendo minhas orações pelos que ficaram... Que Deus lhes dê forças para irem suportando... E ainda ecoa em meu pensamento o grito famoso no mundo inteiro: "Vamos, vamos, Chapêêê...!!!!"

Força, Chape!

Euclides Riquetti
20-01-2017


Para quem sonha e os sonhos descreve...





Para quem sonha e  sonhos descreve
Um poema longo, terno, ou emotivo
Ou apenas um recadinho bem breve
A palavra amor tem o maior sentido.

Para quem ouve ou simplesmente lê
Minhas divagações tão apaixonadas
Que tentam fazer crer quem não crê
Há respostas a serem interpretadas.

Para quem costuma compor textos
Com teor sarcástico, talvez satíricos
Os argumentos são apenas pretextos
Para fugir dos românticos e líricos.

Pois o amor é essência e substância
É alimento que nos anima e sustenta
É o sentimento de maior relevância
Pois nossa alma estimula e acalenta.

 Euclides Riquetti
20-01-2016




A namorada do Teori Zavascki, o próprio, e outras considerações...

          Liliana Schneider é uma gaúcha de 41 anos, nascida em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul. Gerencia uma joalheria na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Até o final de tarde de ontem, quinta-feira, 20 de janeiro de 2017 era uma cidadã  desconhecida...

          A  bela gaúcha costuma usar uma frase da falecida e memorável Marilyn Monroe, aquela atriz americana famosíssima, que teve um caso com o saudoso John Fitzgerald Kennedy, então Presidente dos Estados Unidos, o país mais poderoso do mundo: “Não me alimento de quase, não me contento com a metade! Nunca serei sua meio amiga ou seu meio amor. É tudo ou nada”.

          Certamente que isso tem a ver com o Ministro do STF, Teori Zavascki, que morreu ontem, aproximadamente às 14 horas, no litoral brasileiro, 2 Km dentro do mar, em Paraty, RJ, quando o avião em que viajava, com mais 4 pessoas, caiu na água, partiu-se, e todos perderam a vida, de quem era namorada. Teori era viúvo desde 2013, quando perdeu a esposa, vítima de câncer. Deixa 3  filhos.





          Liliana não é uma mulher de badalação.É discreta e só passa a ser conhecida agora em razão da perda do namorado famoso. Famoso e poderoso. Muito Poderoso!

          Teori Zavascki é natural de Faxinal dos Guedes, aqui em Santa Catarina. Pois passamos por lá na madrugada de ontem, uma hora depois da meia noite, quando voltava de Campinas via aeroporto de Chapecó. A estrada estava com pouco movimento, a noite com um luar dourado´, a temperatura agradável. Ao passar por aquela cidade, na BR 282, lembre-me do tio de minha mulher, Dionízio Carmignan, já falecido. Lembre-me também de que no ano passado, ali esteve o ministro Teori Zavascki, por ocasião do falecimento de sua mãe. O saudoso nunca deixava de visitar sua cidade natal, embora tenha estudado Direito em Porto Alegre, onde iniciou sua carreira no meio bancário e depois jurídico, indo arar no Supremo como Ministro.

          Zavascki foi, até ontem, o relator do Processo denominado "Lava Jato", tendo colocado gente graúda na cadeia e sendo o responsável pela homologação das delações premiadas. No momento, estava prestes a homologar a delação de 77 pessoas ligadas à empresa Odebrecht. Sua perda vai atrasar o andamento do processo, acredito eu.

          Ele não precisa ser unanimidade, até porque é dito que "toda a unanimidade é burra', vocês sabem disso, leitores.  Mas é certo que a grande maioria dos brasileiros acreditava na seriedade de seu trabalho. Vi uma entrevista com um cunhado dele, que mora na casa até onde alguns meses atrás morava a sua mãe falando de sua seriedade e obstinação em seguir, nas suas decisões, os ditames da Lei. Concordo!



          Teori Zavascki foi um catarinense que nos representou bem, assim como o tenista Guga Kurten bem nos representa. Também considero nos representar bem a amiga Aline Rocha, pentacampeã da São Silvestre para cadeirantes, e a Natália Zílio, que veio para Joaçaba com 1 ano de idade, aqui aprendeu a jogar voleibol, e hoje é a ponteira da Seleção Brasileira, com a camisa número 12, e atua na Turquia, com seus pais e irmãs aqui morando. Temos muita gente gente que nos orgulha. Teori Zavascki, respeitosamente, é uma dessas pessoas.

Euclides Riquetti
20-01-2017


quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Ama, verdadeiramente, quem te ama!







Ama, verdadeiramente, quem te ama
Quem te ama, quem te respeita, quem te quer
Ama, verdadeiramente, quem te chama
Quem te chama e te valoriza como mulher.

Observa cada gesto, cada palavra que te chega
Não te iludas com promessas e  devaneios
A dor pode vir junto, sem que se perceba
Inserida nas falas  falsas  e nos vis galanteios.

Ama, verdadeiramente, o que julgares certo
Aquilo que é ditado pela tua intuição
Não procures longe o que pode estar bem perto.

Ama quem possa te trazer felicidade 
Aquele que pode ser filtrado  pela tua razão
Que te oferece amor, carinho, lealdade!

Euclides Riquetti