quinta-feira, 5 de março de 2015

À mulher amada...


À mulher, o poeta mandou flores vermelhas
E lhe deu paixão
Em centelhas.

Escreveu-lhe versos de amor
Que desenhou
Nas pétalas de uma flor.

Desenhou também um coração
E nele seus nomes pincelou
Com toda a sublime devoção:

A de amá-la, infinitamente
A de respeitá-la, eternamente
A de cortejá-la, docemente
A de valorizá-la, certamente.

E o poeta fez-lhe versos surpreendentes
Alegres
Bonitos
Românticos
Comoventes!

Pintou com suas palavras um retrato sem igual
Fantástico
Belíssimo
Magistral.

O poeta queria mandar-lhe um jardim todo.
Mas seria tolo
Se assim o fizesse.
Melhor que ele mesmo lhe dissesse:

Mando-lhe um ramalhete de cada vez
Assim me diz minha sensatez.

Educado,
Preciso fazer-lhe um agrado
Mostrar-lhe minha alegria
Um pouco de cada dia.

À mulher amada
A certeza de ser cortejada
Desejada
Endeusada!

Ao poeta
Que não é Deus nem profeta
Apenas uma certeza:
Poder descrever sua beleza
Infinita
De mulher bonita.

E fazê-la sentir-se, todos os dias
Muito bem amada
Pois é assim que ele a quer:
Feliz sempre, ter muita alegria
Pois todo o dia é dia
É Dia da Mulher!



Euclides Riquetti

quarta-feira, 4 de março de 2015

Me tome nos seus braços

Me tome nos seus braços
Me envolva com você
Busque-me no espaço
Me envolva com você
Me tome nos seus braços
Me deixe amar você...

Me abrace com carinho
Me envolva com você
Busque-me de mansinho
Me envolva com você
Me abrace com carinho
Me deixe amar você...

E cante a nossa canção
De mim e de você
Lembre com emoção
De mim e de você
E cante nossa canção
Que eu fiz para você...

Quando estiver sozinha
Lembre com todo o carinho
Do encontro na tardinha
Andando pelo caminho
E na saudade minha
Quando  me sinto sozinho...

Porque longe de você
Sou como peixe fora d´água
Sou poeta sem poema
Sou como o vento que apaga
O versos que você lê
Nas areias da praia!

Euclides Riquetti
04-03-2015
Os versos que você lê

terça-feira, 3 de março de 2015

Navegam seus olhos fundos...

Navegam seus olhos fundos,  entristecidos
Buscando no horizonte algumas respostas
Talvez buscando entender alguns desatinos
Escrevendo o poema certo nas linhas  tortas.

Navegam seus olhos bonitos nas incertezas
Buscando entender os difíceis mistérios da vida
No rio que leva distante,  em suas correntezas
Histórias de traumas, de lutas,  confrontos e brigas.

Navegam seus olhos com medo de ver as verdades
Estradas que levam no tempo, na busca da cura
E trazem consigo lembranças e muitas saudades
Dos tempos de amor, de ilusão e aventura.

Navegam seus olhos e,  ao longe, encontram os meus
Despertos na espera do encontro que tanto desejam
Que aguardam  respostas que venham de dentro dos seus
Respostam que acalmem meu ser e também me protejam.

Eu olho seus olhos, seguro suas mãos e você nem me vê
Em pensamentos, desejos, pecados, pecados, desejos
Só quero sentir o perfume sutil que vem de você
E, se possível, roubar de seus lábios apenas um beijo.

Um beijo do amor sentido e não correspondido
Um beijo para não mais ser esquecido!
Um beijo meu
Um beijo seu
Nada mais!

Euclides Riquetti

segunda-feira, 2 de março de 2015

Preciso que tu me faças sorrir


Preciso que tu me faças sorrir
Preciso que tu me faças cantar
Preciso que me faças ouvir
A doce canção de ninar. 

Preciso, sim, que me faças sonhar
Pois sonhar é algo que eu posso
Um sonho assim, singular
Que devolva os momentos só nossos.

Mas os  anos passam  ligeiro
Mudam destinos e trocam caminhos
O tempo fugaz é passageiro
Não me imagino ficar sozinho.

Preciso que tu me faças sorrir
Preciso que tu me faças viver
Quero dar  meu amor só pra ti
Quero que sejas meu bem-querer!

Te amo!

Nossa Senhora dos Pedágios

Nossa Senhora dos Pedágios (oração de caminhoneiro)
Nossa Senhora dos Pedágios
Protege os caminhoneiros
Livra-os dos concessionários
Que lhes tomam seus dinheiros!

Nossa Senhora das Estradas
Protege os heróis da boleia
Trabalham e não sobram nada
Pórco cán, porca miséria!

Nossa Senhora dos Borracheiros
Que consertam os pneus furados
Tenha dó desses  brasileiros
Que vivem tão  explorados!

Nossa Senhora dos Bons Motores
Faze sempre o melhor possível
Deixa limpos os bicos injetores
E segura o preço do óleo diesel!

Nossa Senhora do Bom Frete
Pede ao Governo pra que tape os buracos
Pois é a ele que compete
Conservar bem todo o asfalto!

E sempre que na banda da estrada
Tiver uma pequena gandaia
Fecha os olhos, não é nada
É apenas  uma boa parada...

Porque a vida não é só trabaio, tchó!

Euclides Riquetti

domingo, 1 de março de 2015

Sem caminhão, o Brasil para!

          Este foi o título de meu artigo na coluna do semanário Cidadela, aqui de Joaçaba. Escrevi há 5 dias. E continua  valendo...
       
          Participei, neste sábado, das manifestações em favor dos caminhoneiros autônomos, aqui em Joaçaba. O movimento iniciou-se defronte à Prefeitura Municipal, com passeata por Herval D ´Oeste, chegando até o Centro de Promoções de Joaçaba, na BR 282, ida para Chapecó. Reivindicação juta a deles. Ninguém é obrigado a trabalhar de graça ou pagar para trabalhar. Até minha neta, a Júlia, cantou o Hino Nacional com a mão no peito e muito respeito. Ela tem a justa compreensão do que está acontecendo, embora ainda não tenha completado 5 anos. Já esteve em manifestação em favor dos professores da rede estadual também.
        
          O que faz doer na alma da gente é ver o significativo número de policiais da PRF e da Polícia  Militar Estadual presentes para dissipar o movimento.  Ora, em minha vida, já emiti notas de apoio tanto aos estaduais quanto ao federais. Sempre fiquei do lado de quem reivindicou direitos, jamais  no lado contrário. Ontem, lá no CPJ me senti um bandido, um pária, um imprestável. E imagino o que devem estar sentindo os caminhoneiros. São autônomos, nenhuma entidade os representa. E não fizeram nenhum acordo com nenhum governo...aliás, no tempo da ditadura, ( e devo dizer que sou radicalmente contra qualquer tipo de opressão!), o preço do litro de óleo diesel era menos de metade do preço do da gasolina. Diziam que era subsídio: mentira! É só tributar o óleo diesel com menor incidência de impostos e veremos que é possível ter um preço justo. Não nos esqueçamos de que este combustível é o que aciona as máquinas nas lavouras, as que constroem as estradas e os caminhões que transportam nossa produção.

          Numa desastrada entrevista à TV, o ministro Eduardo Cardozo fez todas as ameaças possíveis os caminhoneiros, falando em multas que vão além de as das infrações de trânsito: R$ 5.000,00 a R$ 10.000,00 por hora parada de cada caminhão que estivesse impedindo o trânsito de fluir. Coisa bem pior do que na ditadura. Um ministro mala que já nos deve explicações sobre seus colóquios com os advogados dos empreiteiros do petróleo. Um ministro fanfarrão que deveria pedir desculpas á nação e solicitar sua demissão, enquanto não o tirem de lá...

          O Governo Brasileiro errou feio em sua estratégia de se manter no Poder, conduzindo a política econômica de forma equivocada. E gastando muito mais do que deveria. Agora, o consumidor brasileiro é que está pagando a conta disso. Vá aos supermercados e constate o comportamento dos preços. Se você acompanhou durante os últimos dois anos vai poder observar o quanto o custo de vida subiu. Alimentos, material de limpeza, utensílios, tudo, vergonhosamente caros.

          O cidadãos têm o direito de votar em quem desejam e isso é inalienável. Respeito, sempre, as posições que divergem das minhas. Procuro entender, pois a pluralidade de opinião e de ideologias á salutar, não apenas para o Estado Democrático de Direito, como para nossa vida cotidiana.  O que não se pode fazer é defender o indefensável.

           Lamentável que a polícia, para cumprir seu dever e disciplina hierárquica, esteja lá forçando a barra sobre os caminhoneiros, querendo prender quem os defende, inclusive advogados, como foi o caso do episódio que envolveu meu amigo Dr. Éber Marcelo Bündchen que, corajosamente, está junto conosco no apoio aos caminhoneiros.   

          Nunca o slogan "Sem caminhão, o Brasil para", esteve tão em evidência. Para, sim!

Euclides Riquetti  

Sábado, bem no fim da tarde..


A chuva  da tarde de sábado
Veio fresca, em meio ao  vento
Veio para expiar meus pecados
(Os que ainda não estavam  confessados).
Veio trazer-me de volta os alentos
A chuva que escondeu o firmamento.

Fugiram os pássaros assustados  
E foram juntar-se às  borboletas
Migraram por todos os lados
Ficaram tristes  e acanhados
Enquanto que a água enchia  as valetas
Das ruas estreitas!

Mas, bem no final da tarde
O céu se recompôs
Sem nennhum alarde!

Então, o coral do passaredo voltou
O céu reazulou
E o sol se redourou
Sábado, bem no fim da tarde!

Euclides Riquetti

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Diga-me apenas por que rua vai voltar...

Diga-me apenas por que rua vai voltar...
Se é pela que vem com o sol,  ou a com que ele vai
Diga-me se vem pelas areias do mar
Ou vem das montanhas que me fazem pensar
No seu rosto bonito que de minha mente não sai...

Diga-me apenas que não vai me esquecer
Que bons momentos são doces lembranças  que se eternizam
Diga-me que no mundo não há razões para o sofrer
Se estivermos dispostos a tentar  compreender
As angústias e  a ansiedade que nos martirizam.

E, na simplicidade de meus versos e de minhas pobres rimas
Um recado que brota de meu coração cigano
Palavras que elevem seu ânimo e a estima
Na tarde cansativa ou na noite mal dormida
Na manhã do pecado e do meu beijo profano...

Euclides Riquetti
28-02-2015

Em teus sonhos, quero ser o primeiro

Amor em pedaços, quero mais, mais
Adoro tanto, que não me satisfaço
Quero amor com sabores  reais
Quero nozes, morangos, melaços
Quero sabores com amor, demais!
Quero um amor inteiro, de pedaço em pedaço!

Amor em fatias enormes, colossais
Amor da saudade que volta e que bate.
Quero o pedaço cheiroso que me atrai
A  polpa da maçã vermelha escarlate
E, da uva,  o suco bordô que se extrai
Pedaços de amor com sabor chocolate!

Quero, sim, nas noites de calor
Que busques os recheios no teu coração
Quero, sim, teus pedaços de amor
Que trazem os sabores da forte paixão
Apenas amor: em pedaços ou inteiro
E em teus sonhos, quero ser o primeiro!

Euclides Riquetti

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Nas areias do mar...

 

Na praia deserta, somente você... e o mar
Mas no céu,  as  gaivotas se esbaldam  a planar
E eu me encanto
Com seu  manso gaivotar
Enquanto descanso
Sob o sol que bronzeia
E há apenas um par de corpos
Jazendo  na areia
Sob um sol a queimar
Ao lado do mar!

É ainda de mannhã, é cedinho
Vêm as espumas da imensidão
É manhã de sol que vem devagarinho
Pra por bronze nas peles
Das mulheres
Que virão
E que espalharão
Os perfumes, os cabelos, os olhares
Por todos os lugares
Onde passarem
Deixando marcadas nas areias douradas
As marcas de suas passadas
Sensuais
Magistrais
Angelicais!

E meus desejos poéticos
E meus sonhos proféticos
Buscam tornarem-se reais.

Buscam, infinitamente
Encontrarem seu olhar fatal
Seu corpo escultural
Que não sei onde está
Mas que, certamente, daqui a pouco virá
Para deitar-se,  sutilmente
Nas areias do mar!

Euclides Riquetti

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Nas ondas do sonho


Nas ondas do sonho
Ganhei  teu abraço
Um beijo gostoso
Um olhar carinhoso
Depois do cansaço...

Nas ondas do sonho
Enrolaste-me em laço
Entreguei-me de todo
A teu corpo cheiroso
Perdi-me em seus braços!

Mulher carinhosa
Na tarde de verão
Na tarde gostosa
Me atacas fogosa
Roubas meu coração.

E nas ondas do sonho
Me levas embora
Com teus beijos de fogo
De amor e de gozo
Me levas, senhora
Me levas embora.

E eu
Por minha própria vontade
Me deixo levar!

Leva-me
Para algum lugar
Onde possas me amar
E me fazer sonhar.
Leva-me
E não me deixes voltar!

Euclides Riquetti

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Quero apenas que mergulhe em mim

Divina paisagem matinal
Em que o vento balança as folhas da palmeira
E as plantas  jazem sob o azul do manto celestial
De onde vem-me o doce aroma da cidreira.

Pássaros pousados nos galhos que se embalam
Bailam na harmonia  em  realeza
E seus belos cantos nos ares se propagam
Numa grande sinfonia da natureza.

Eu me transporto para o enlevo de teus braços
E me alento no desejo de estar junto de ti
Buscando apenas os teus beijos e teus abraços.

Preciso, ardentemente, mergulhar no teu divino ser
E quero que teu ser mergulhe em mim
E no teu corpo me envolver e  me perder.

Euclides Riquetti

A chuva fina que cai...


A chuva fina que cai
Refresca sua pele morena
Leva embora seus dilemas
E pelas valas se vai
A chuva fina  que cai...

A chuva que molha seus cabelos
É a mesma que rega a planta
Enquanto que você canta
E  atiça os meus desejos
Enquanto molha ... seus cabelos.

E enquanto chove
Olhe bem nos meus olhos
Pois há, ali, um recado pra você:
Olhe bem nos meus olhos
Enquanto chove.

Olhe bem e procure entender
Há uma mensagem sem igual 
Guarde com carinho, meu bem
É pra você, meu bem-querer
É algo muito especial.

Então, enquanto chove
E a chuva refresca sua pele morena
E alisa suas franjas e melenas
Diga-me que também me deseja.
Enquanto chove...

Euclides Riquetti

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Vou ser o sol

Vou ser o sol que você esperou 
Que desejava que viesse para bronzear  sua pele
Vou ser o sol que você desejou
Liberar o desejo que minha mente impele.

Vou ser o sol que energiza sua alma
Que dará a cor às flores nas plantinhas
Da rosa champagne à branca palma
Para levar a você a mensagem minha.

E se não for sol, então serei, ao certo
O romance vivido, a letra da canção
A estrofe do poema, a palavra do verso.

Mas se não for verso, e nem for romance
Quererei apenas sentir-me na ilusão
De ter sido seu sol, quando eu tive a chance!

Euclides Riquetti

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Nascem as flores


 

Nascem as flores  nos canteiros
Nos vasos, jardins e floreiros
Nascem nos campos as flores
De todos os matizes e cores.

Nascem as flores em setembro
Também nas margens dos ribeiros
Nascem em outubro e novembro
Enfeitam a vida em fevereiro....


Nascem flores muito belas
Rosas brancas, vermelhas, amarelas
Nascem nos montes  as flores
Vêm nos perfumar seus olores.

Nasceram em botões e se abriram
E meus olhos as contemplam (e admiram!).

E as flores em janeiro nascidas
Ali estão, formosas e coloridas
A conquistar os transeuntes embasbacados
A conquistar meus olhos abrilhantados.

Ah, flores frágeis e esplendorosas
Mas também  belas, singelas  e viçosas.

Mas apenas flores
A povoar os vasos
Os jardins:
A encantar você
A encantar a mim!

Euclides Riquetti