quinta-feira, 26 de março de 2015

Quando os primeiros frios chegarem...

Quando os primeiros frios  chegarem
Nas noites sedutoras  do mês de abril
Depois de um dia de sol e céu de anil
E nossos pensamentos se encontrarem...

Quando, depois da jornada cansativa
Estiver exausta, sentindo a dor no corpo
E se perder no seu pensamento absorto
Lembre de que, além de sua janela,  há vida.

Seja flexível com as coisas de seu coração
Inquieta, busque alivio para sua alma
Criativa para encontrar formas de solução.

Busque, incessantemente a sua felicidade
Conduza sua vida pela estrada calma
Viva com alegria e com intensa paixão.

Euclides Riquetti
26-03-2013





Quanto estiveres sozinha...

Quando estiveres sozinha, sentindo-te abandonada
Quando estiveres triste, como se o mundo tivesse desabado
E olhares para o céu, e te parecer que tudo está acabado...
Lembra-te de quem  um dia já esteve em tua estrada.

Quando estiveres deprimida,  sentindo-te desolada
Quando estiveres te sentindo como que num abismo profundo
E imaginares que pra ti não há mais ninguém no mundo...
Lmbra-te de alguém por quem podes ter sido amada.

Quando as noites de verão te parecerem frias como as do  inverno
Quando teu coração estiver se descompassando, nervoso e desorientado
E pensares que nada mais tem solução, e imergires no passado
Lembra-te que em algum momento alguém te prometeu  amor eterno...

Então, passa uma borracha sobre tudo o que te fez mal
Escolhe todas as coisas boas que tem guardadas em ti
Inicia uma nova jornada, constrói com elas um cenário real
Abraça-te num mundo novo, num novo amor que há de vir
E abraça-te em alguém que te possa fazer feliz!

Euclides Riquetti

quarta-feira, 25 de março de 2015

Poeminha infantil (para as cianças do Mundo Encantado)




Meu nome é Vovô Cride
Euclides é meu nome...
Um Vovô que convive
Com uma belíssima neta
Sabem como ela me chama?
Me chama de Vovô Careca...
Que menina matreira
Essa minha neta muito faceira!

O nome de minha neta
Muito Catita e bem Sapeca
Muito estudiosa e muito fofinha:
É Julinha!
Julinha, de Júlia
Um nome que muito me orgulha
Mas sabem como eu a chamo?
Chamo-a de Jujubinha
Minha neta muito amada
Muito doce e queridinha!

Ela me diz  com muito zelo
Fala com todo o cuidado:
Vovô, você não tem cabelo!
Ai de mim, abençoado!
Sou apenas um poeta escritor
Que escreve poesias
Pra falar com muito amor
Aqui neste mundo de cor
E para hoje lhes dizer: Bom dia!

Eu não tenho um Ursinho Pimpão
Também não tenho bonecas da Bárbie
E nem mesmo da Monster
Nem um caderninho da Frozen...
Mas tenho um ursinho Puff
Uma Galinha  Pintadinha
Uma capa do Batmann
E uma vaca bem Vaquinha ...

Gosto de bola e de  balão
Tenho muitos amiguinhos
E tenho um baita de um coração
Que me faz dar a ela
Toda a minha atenção:
Jujubinha, diga pro vovô
Onde está minha revista?
Onde foi que você guardou?

E ela me traz sua malinha:
Papel branco, lápis de cor
Pincelzinho e tubinhos de tinta
Vai pintar uma abelhinha
Vai desenhar uma flor
Vai fazer um desenho bem pintado
Pra que eu leve com muito amor
Pras crianças do Mundo Encantado!

Então, meus novos amiguinhos
Conversar com vocês
Ler pra vocês poesias
Foi uma grande alegria!
E espero que aprendam a ler
Viver o mundo da fantasia
Estudar para muito aprender
E viver bem cada dia!

Euclides Riquetti
25-03-2015

Oração às crianças



Crianças nos fazem felizes porque são crianças
Crianças nos dizem coisas que nos encantam
Crianças filhas de mães dignas, dóceis e santas
Crianças que nós amamos, lindas crianças!

A criança  torna o mundo muito mais feliz
Porque em cada olhar desperta ternura
Porque em cada rosto há carinho e doçura
Há amor em seus gestos e em tudo o que diz.

Deus, abençoe as crianças que cantam,  faceiras
E também as que buscam o pão pra comer
E aquelas sem pais e sem lar pra viver.

Proteja as que passam frio nas noites de inverno
E as que rezam, esperançosas, pelo Pai Eterno.
Abençoe, Meu Deus,  as crianças brasileiras!

Euclides Riquetti

Sorriso de criança


Sorriso de criança, um mundo de amor e de sonho

Nada é mais autêntico que o sorriso da criança
Pois nele há singeleza, beleza, ingenuidade
Suas palavras simples  denotam sinceridade
Tempo do qual se guarda a mais saudosa lembrança.

Gestos muito simples, modos sempre delicados
Olhar sutil, bondade no seu coraçãozinho
A proteção materna que a atende com carinho
A segurança ao ter sues pais presentes e dedicados.

Sorriso de criança,  enternecedor e contagiante
Belíssima transpiração de inocência e de docilidade
Sorriso de criança, encantador e deslumbrante.

Sorriso de criança, dos sorrisos o mais risonho
Inspiração para o poeta, para os pais felicidade
Sorriso de criança, um mundo de amor e de sonho.

Euclides Riquetti

O moço de olho azul


O moço de olho azul

Foi há muitos, muitos anos
Um moço loiro, de olho azul
Por entre sacros e profanos
Disse "amai", de norte a sul.

Foi no tempo de Maria
Foi no tempo de José
Em Belém, um certo dia
Nasceu Jesus de Nazaré.

Fio no tempo dos  Reis Magos
Um moço forte, inteligente
Que pregou por entre os lagos
"Amai a toda, toda a gente".

Foi há muito, muito tempo
Que Jesus apareceu
Palestrando no relento
Seu rebanho convenceu.

Foi aquela Madalena
Que roubou o seu olhar
Mas o moço que é meu tema
Preferiu lhe perdoar.

Foi assim que o jovem nobre
Que morreu naquela cruz
Preferiu ser moço pobre
E se tornou raio de luz.

Foi a voz do bom profeta
Que Jesus anunciou
Foi o verso do poeta
Que Jesus eternizou.

Foi com o sangue derramado
Que do vinho Ele tirou
Jesus Cristo,  tanto amado
A Humanidade Ele salvou!
 
 
Euclides Riquetti

terça-feira, 24 de março de 2015

Mãe


Mãe

Mãe - das dadivosas mãos, mãe
Mãe - das caridosas bênçãos, mãe.

Mãe dos filhos gerados e amados
Mãe dos filhos cuidados e guiados.

Mãe - da vida dedicada, mãe
Mãe - da lida abnegada, mãe.

Mãe das manhãs azuis, esperançosas
Mãe das noites negras e chorosas.

Mãe - do filho perfeito e bem nascido
Mãe - do sagrado leito ali estendido.

Mãe do olhar bondoso mas austero
Mãe do falar que assusta mas sincero.

Mãe - do amor em plena difusão
Mãe - da flor, da alma e coração.

Mães são apenas mães:
Não dependem de elogios
Não dependem de flores
Não esperam por presentes.

Apenas rezam por seus filhos.
E eu rezo por elas.

Felicidades a todas as mães:
À minha, à tua, às mães das outras mães.

Euclides Riquetti

segunda-feira, 23 de março de 2015

Saí para encontrar os raios de sol...

Saí para encontrar os raios de sol
Numa das primeiras tardes outonais
Sentindo os aromas dos florais
Sonhando envolvê-la em meu lençol...

Saí para encontrar o seu sorriso
Beijar os seus lábios de cor rosada
Encontrá-la  na tarde ensolarada
E isso é tudo de que eu preciso...

Saí pra sentir o seu corpo elegante
Afagar o seu rosto de pele macia
E dizer-lhe que você me é importante.

Olhar no espelho da verdade
Matar os desejos que eu tanto sentia
Entregar-me a você por saudade.

Euclides Riquetti
24-03-2015

Há uma luz em ti...


Há uma luz em ti, que irradia encantamento
Que brota de teu sorriso natural
Que adorna teu rosto divinal
Que me incita ao  profano pensamento...

Há uma luz em ti, que a torna muito mais bonita
Que põe uma aura em redor de teu belo corpo
De cabelos dourados, de um fantástico rosto
Uma beleza singela, uma alma bendita!

Há uma luz que brilha em todas as horas
A luz própria de uma verdadeira diva
E que mesmo na noite não se vai embora.

Há uma mulher determinada e atraente
Uma mulher serena, deslumbrante e altiva
A mulher do sorriso leve e  da paixão ardente.

Euclides Riquetti

domingo, 22 de março de 2015

Conversando com crianças da Escola Vilarino Dutra, em Ouro

          Na terça-feira fui a Ouro e Capinzal cumprir com alguns compromissos.  Compromissos podem se traduzir em coisas boas, não necessariamente em algo que nos incomode. E meus compromissos, lá, foram bem sucedidos, me deram prazer e alegria. Um deles foi "bater um papo" com as crianças dos terceiro, quarto e quinto ano da Escola Municipal Felisberto Vilarino Dutra, no Bairro Parque e Jardim Ouro.

          Fora convidado pela professora e diretora  Edinéia Rech, minha ex-aluna, agora diretora da Escola. E o é por merecimento e competência. Lembro-me bem de que ela e a Jocilei Durigon eram líderes muito dinâmicas no tempo em que eram alunas minhas na Escola Prefeito Sílvio Santos. Viraram professoras, esposas, mães. De que mais as pessoas precisam para se considerarem realizadas e felizes?! Pois, para minha alegria, muitos de meus ex-alunos tornaram-se professores.

          A professora Josiane Balbinotti Isganzela, do terceiro ano, desejava que seus alunos tivessem contato com alguém que conhecesse um pouco da História do Município de Ouro e o convite veio a mim através da Diretora Edinéia. Quando ela me formalizou o convite falei: "Terei muito prazer em conversar com os alunos". E sugeri aproveitar minha ida para estender a oportunidade à participação de outras crianças. Pois bem, cerca de 70 crianças ocuparam o auditório da Escola na terça, a partir das 10 horas. Lá reencontrei,  também,  a Andréia Zanini, a Carmen Bonato, a Jandira Bonamigo e Jiovana Ganzala Franceschine. As três primeiras também foram minhas alunas.

          Foi extremante gratificante conversar com os alunos e contar-lhes sobre a história de como o Município foi povoado, há mais de um Século. Ressalto sempre que, antes de virem os "italianos" da Serra gaúcha, já havia muitos caboclos em Ouro. Engano pensar que os "oriundi" foram os primeiros a chegar. Aliás, só vieram depois da construção da estrada de ferro. Exemplo é a presença da família Teixeira Andrade, proprietária de terras que iam da Linha Bonita até o Pinheiro Baixo. E também os Zaleski, os Silva e muitos outros.

          Falei de algumas famílias que foram pioneiras, dentre elas os Dambrós, os Durigon, os Savenhago, os Bazzo, os Campioni e assim por diante. Aliás, Dambrós, Savenhago, Campioni e Mantovani (estes de Rio Capinzal),  foram  muito importantes na industrialização da região, pois juntamente com os agricultores, fundaram o Frigorífico Ouro, hoje "Perdigão", ou BRF, como queiram. Também falei de Ouro ter sido denominado "Distrito de Abelardo Luz", no início da segunda década do Século XX, pertencendo à cidade de Palmas, Paraná. Depois a Cruzeiro (com sede onde hoje se situa Catanduvas). Cruzeiro originou a cidade de Joaçaba. Mas Ouro também pertenceu a Campos Novos e Capinzal. E possibilitou a emancipação de seus Distritos de Lacerdópolis, (que julgávamos chamar-se Barra Fria), e Presidente Castelo Branco (antigo Dois Irmãos).

          Fiquei maravilhado com a educação das crianças, todas atenciosas e participativas. À medida que eu falava, faziam intervenções: "Fulano de tal é meu vovô, meu biso"... Até sobre a história do "homem que queria voar", o Luiz Faccioni, no Pinheiro Alto, há quase um século, um deles sabia... Falei do porquê de o município fazer aniversário em 7 de abril, dia do aniversário do Partido Político UDN, muito forte na época. Também descrevi como era a cidade há meio século e o Parque e jardim Ouro. Mencionei o "Velho Nicola", o Werner da Silva e seu pai, os Thomé, os Grulke, o Vidal de Matos, o Peroza, e o Hercílio e Pedro Lima.  Fizeram-me um "caminhão" de perguntas e procurei responder a todas. Teríamos assunto para conversar muitas horas...

          Quero agradecer à Edinéia e às professoras por terem me dado a oportunidade de conversar com os alunos e professores. Foi uma alegria indizível para mim. Esta e outras atividades em Capinzal e Ouro deixaram meu dia muito melhor.

Grande abraço em todos!

Euclides Riquetti
       

sábado, 21 de março de 2015

Dia de poesia

  
Todo o dia é dia
De fazer poesia
De escrever lembranças saudosas
De dizer palavras carinhosas.

Todo o dia é dia
De fazer poesia
De falar de sonhos vividos
De falar de amores sentidos.

Todo o dia é dia
De fazer poesia
De pensar nas breves ilusões
Que flecham os corações.

Todo o dia é dia
De lembrar com nostalgia
Dos momentos de nossos sonhos
De seus olhos morenos, risonhos.
Todo o dia...

Euclides Riquetti

sexta-feira, 20 de março de 2015

Nos limites do universo

Sintonizam-se pensamentos lado a lado 
Na transposição dos limites do universo
No sobrepor-se às fronteiras das paredes
Onde se escondem os corpos e o pecado
Nos  desejos, nos afagos  tão diversos.

Para o amor, não há fronteiras, acredite
Para nosso amor, só o céu é o limite"-

Sintonizam-se almas gêmeas que se buscam
Dos parceiros na  distância imensurável
Nas fontes de prazer apenas saciar as sedes.
Nem as trevas e tempestades os ofuscam
Porque há um  amor puro, um sentimento inabalável.

Para o amor não há fronteiras, acredite
Para nosso amor, só o céu é o limite!


Euclides Riquetti

quinta-feira, 19 de março de 2015

Falam as rosas

Falam as rosas
Palavras perfumadas de veludo
Rosas formosas
Que dizem que eu te amo,  sobretudo.
Falam as rosas
E eu as escuto com o coração aberto
Pois que, ao certo
Elas me dizem muito, dizem tudo...

Falam as rosas
E dizem das canções que já ouvimos
Sobre nossos destinos
Sobre outras flores perfumosas
Que tocam nossos corações cheios de ternura.

Falam-nos as rosas
Delicadas, brancas,  cor-de-rosa...
Mas falam as rosas
Vermelhas, amarelas, delicadas
Como o som da brisa
Ou o brilho das estrelas prateadas
Falam as rosas!

Falam do amor
Que o destino resolveu manter distante
Das lágrimas que se transformaram em diamantes
Das mãos que tocaram minhas mãos
E dos lábios que beijaram os meus lábios
Como nunca antes!

Falam as rosas o ano inteiro
Como aquelas   que falaram em janeiro
E as que virão, certamente, encher-nos de perfume
Para acalmar a consciência que nos pune
No calor de todas as tardes de fevereiro:
Falam, suavemente
Falam, delicadamente
Falam as rosas!

Euclides Riquetti

Aquela estrela que cintila no céu é você...

Aquela estrela que cintila no céu e me vê
Que me olha mansamente
Com seu olhar sensual
Com seu brilho atraente
Que me faz sentir-me contente
Feliz, disposto, jovial
É você! Só pode ser você...

Aquela estrela por quem me importo
Com a  qual me preocupo sempre e  sempre
E que diz importar-se comigo também
Que está sempre presente em minha mente
Para quem declamo meus repentes
Precisa ser minha e de mais ninguém
Pois nela me animo, revivo e conforto...

Aquela estrela que faz brotar a faísca da paixão
Aquela estrela deixa o perfume no ar
Aquela estrela que mexe com meu coração
Que vai e que volta mas vem me encontrar...

Aquela estrela vem no pensamento e não sai
Aquela estrela que chega até mim e não passa
Aquela estrela pendurada no céu que não cai
Que me olha, me beija, me encanta e me abraça...

Euclides Riquetti
19-03-2015

quarta-feira, 18 de março de 2015

Quando os anjos o chamaram

Quando aos céus o chamaram
Naquele domingo ensolarado
Os anjos e arcanjos o esperavam
Ostentando seus cabelos dourados
Enquanto as lágrimas rolavam
Nos  rostos desesperados...

Foi uma partida já anunciada
Com os corações invadidos de dor
Uma trajetória bela, mas abortada
De alguém que viveu com amor
Mas que trilhou uma breve estrada
Que o levou até o Senhor...

Foram momentos de muita tristeza
Veio dor da separação repentina
Você foi morar na Eterna Realeza
No âmbito da Glória Divina
Resta-nos rezar com firmeza
E lhe compor essas rimas...

Com amor
Com carinho
Com a flor
E, com jeitinho
Pedimos  ao Nosso Senhor
Que abençoe o seu caminho!

Homenagem ao cunhado Anilton Carmignan, o Kiko,
que nos deixou em 18 de março de 2012.
Com muito carinho!

Euclides Riquetti
18-03-2015